A Câmara Municipal de Coimbra (CMC) debate na segunda-feira a aquisição de dois miniautocarros ecológicos para o trajeto da Alta à Baixa de Coimbra, pelo Jardim Botânico da Universidade.

O executivo da CMC vai apreciar e votar na reunião de segunda-feira a atribuição de um subsídio extraordinário, no valor de 200 mil euros, aos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC), tendo em vista a compra de dois miniautocarros ecológicos, informou a Câmara de Coimbra, em nota de imprensa.

"As viaturas serão utilizadas no trajeto da Alta à Baixa pelo Botânico, cuja empreitada se encontra em curso e liga o Arco da Traição [Polo I da Universidade] à Rua da Alegria [Parque Manuel Braga], por intermédio de um trajeto dentro da mata" do jardim, explanou.

Segundo a Câmara de Coimbra, este percurso de 800 metros, em zona classificada Património Mundial da Humanidade (Alta, Universidade e Rua de Sofia receberam a distinção em 2013), vai contribuir "para o alívio da grande pressão de estacionamento que atualmente se verifica na Universidade de Coimbra, com os utentes a poderem deixar os seus veículos no estacionamento do Parque Verde.

O município realça ainda que o percurso feito pelos dois miniautocarros vai permitir "a munícipes e turistas apreciarem a beleza" do Jardim Botânico, ajudando também "a vencer o declive acentuado" no sentido Baixa/Alta.

Em janeiro de 2014, a Câmara já tinha demonstrado interesse em ligar a Baixa da cidade ao Polo I da Universidade de Coimbra através do Jardim Botânico, referindo na altura que estava a ser estudada a instalação de um sistema funicular, de elevadores ou outro meio mecânico de transporte de pessoas.

Também na reunião do executivo de segunda-feira será votada a proposta de doação de cerca de três mil livros da coleção de Eduardo Lourenço, professor e filósofo português, que recebeu em 2011 o Prémio Pessoa e em 1996 o Prémio Camões.

Na coleção a doar do antigo estudante da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, encontram-se obras como "Poesias Completas", de Adolfo Casais Monteiro, "The varieties of José Saramago", de Harold Bloom, a edição de 1946 de "Poesias", de Mário de Sá Carneiro, ou a edição de 1971 de "Um barco para Ítaca", de Manuel Alegre.