As vacinas da BCG vão começar finalmente a ser distribuídas, depois de em abril do ano passado terem começado os primeiros problemas, com a rutura de stock que se verificou.

"Inicia-se a partir de hoje [sexta-feira] o processo de distribuição de vacinas BCG pelas Administrações Regionais de Saúde (ARS) e pelas Regiões Autónomas (RA) dos Açores e da Madeira", informa a Direção-Geral de Saúde.

Houve atrasos sucessivos desde meados de 2015 e a DGS até chegou a ponderar usar outra vacina contra a tuberculose. A última indicação era de que as crianças em risco tivessem acesso à vacina em janeiro. Mais uma vez houve um atraso, mas chegam finalmente nesta terceira semana de fevereiro. 

Em comunicado, a DGS diz que essas crianças serão identificadas pelas respetivas Unidades de Saúde e convocadas para a vacinação, sem haver qualquer problema em a vacina ser administrada na mesma altura que outras incluídas no Programa Nacional de Vacinação.

Esclarece ainda que Portugal já faz parte dos países desenvolvidos com baixo risco de infeção por tuberculose e tem "um sistema de informação eficaz" para monitorizar a doença.

Que crianças devem então levar a vacina?

As vacinas em causa destinam-se a crianças com idade até aos 6 anos que façam parte de grupos de risco:

 - Provenientes de países com elevada incidência de tuberculose;

- Que coabitem, ou convivam, com portadores de infeção VIH/SIDA, apresentem dependência de álcool ou de drogas ou tenham proveniência de país com elevada incidência de tuberculose nos últimos 10 anos;

- Pertencentes a comunidades com risco elevado de tuberculose (estas comunidades são identificadas a nível local pelas Unidades Saúde Pública em articulação com o Programa para a Tuberculose);

- Viajantes para países com elevada incidência de tuberculose (avaliação feita em Consulta do Viajante);

 

Em atualização