Os profissionais do INEM estão autorizados a trocar de turno durante as operações de socorro. A decisão surge depois do desvio de uma ambulância em Gaia que causou polémica. A viatura transportava um doente grave, mas foi desviada para que a mulher do Presidente do INEM fosse substituída e entrasse a horas no hospital.

Os trabalhadores receberam a decisão com alguma surpresa. Os especialistas consideram que o desvio de uma ambulância não beneficia o doente.

A Ordem dos Médicos já reagiu e classificou esta decisão como «precipitada» e desprovida de sentido, ao deixar ao arbítrio de quem está no terreno a decisão de parar para trocar de turno.