O Tribunal São João Novo, no Porto, condenou esta quinta-feira a dez meses de prisão, pena suspensa por um ano, um segurança que em 2016 agrediu uma pessoa sem-abrigo que, em consequência disso, morreu.

O arguido, que foi condenado por um crime de ofensa à integridade física simples e não por ofensa à integridade física qualificada agravada pelo resultado, como vinha acusado, terá de indemnizar a filha da vítima mortal em 1.000 euros.

Segundo a acusação, a 18 de março de 2016, pelas 01:30, o arguido, que fazia segurança na zona comercial e no parque de estacionamento dos Clérigos, no Porto, surpreendeu a vítima mortal, pessoa sem-abrigo há alguns anos e alcoólico crónico, de 51 anos, nas escadas de acesso ao parque e mandou-o embora.

Depois, envolveram-se numa discussão e o arguido deu uma bofetada à vítima mortal que caiu desamparada no chão, refere.

No dia seguinte, o homem foi transportado para o Hospital de Santo António, onde viria a morrer.

A decisão judicial não teve, contudo, unanimidade, tendo o juiz-presidente votado vencido por entender que o arguido conhecia a vítima mortal e sabia ter problemas de alcoolismo, podendo a agressão causar-lhe a morte.