O Tribunal de Aveiro condenou esta terça-feira a penas de nove e sete anos e meio de prisão dois irmãos acusados de terem tentado matar um jovem de 18 anos, por motivos passionais, na Murtosa.

O tribunal deu como provado que os arguidos, de 21 e 23 anos, decidiram tirar a vida ao ofendido, porque, à data dos factos, o mesmo mantinha uma relação de namoro com a ex-companheira de um dos acusados.

« Não há dúvida de que quiseram matar. Souberam onde o ofendido se encontrava e foram ter com ele ao local, provando-se tudo que está na acusação», referiu a juíza presidente, durante a leitura do acórdão.

Os arguidos estavam acusados por homicídio qualificado na forma tentada, mas os juízes decidiram desagravar o crime para homicídio simples.

A pena mais gravosa foi aplicada ao arguido mais velho, que também foi condenado por um crime de detenção de arma proibida e já tinha uma condenação pelo mesmo delito e por um crime de roubo.

Os dois irmãos, que se encontram em prisão preventiva, terão ainda de pagar 50 mil euros de indemnização à vítima.

Os arguidos não prestaram declarações no início do julgamento, quebrando o silêncio apenas na parte final, para negar as acusações.

O crime ocorreu a 20 de maio de 2014, no cais do Chegado, junto à ria de Aveiro, na Murtosa, onde a vítima se tinha ido encontrar com a namorada, ex-companheira do arguido mais novo, que nunca aceitou o fim da relação da qual resultara um filho.

Segundo a acusação, os dois irmãos dirigiram-se à viatura onde se encontrava o casal e arrastaram o jovem para fora do carro.

Nessa altura, o arguido mais velho terá então alvejado com um tiro de pistola a vítima, que conseguiu fugir atirando-se para a ria.

Segundo a acusação, a dupla abandonou depois o local, julgando que o jovem estaria morto.

A vítima foi transportada para o Hospital de Aveiro e depois foi transferida para os Hospitais da Universidade de Coimbra, onde foi submetida a uma intervenção cirúrgica de emergência, tendo-lhe sido retirado um rim.