O Tribunal de Santa Maria da Feira condenou hoje a seis anos de prisão um homem suspeito de ter assaltado três casas naquele concelho, incluindo a residência de uma idosa que morreu durante o assalto.

O coletivo de juízes deu como provado todos os factos constantes na acusação deduzida pelo Ministério Público (MP).

Uma das casas assaltadas pertencia a uma mulher, de 75 anos, que morreu vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), durante o assalto.
 

"Esta morte vai ficar na sua consciência. A senhora não tinha morrido se não tivesse sido assaltada", disse a juíza presidente, durante a leitura do acórdão.


A magistrada realçou ainda a gravidade da conduta do arguido, tendo em conta que as vítimas eram pessoas idosas
.

"Os nossos velhos, que deviam viver sossegados nas aldeias, cada vez mais são assolados por pessoas como o senhor", referiu.


O arguido, de 26 anos, foi condenado a quatro anos e meio de prisão, por um crime de roubo agravado, três anos, por um crime de furto qualificado, e um ano e meio por um crime de furto qualificado na forma tentada.

Em cúmulo jurídico, foi-lhe aplicada uma pena única de seis anos de prisão.

O arguido vai continuar em prisão preventiva a aguardar o trânsito em julgado da decisão.

Durante o julgamento, o acusado admitiu os factos imputados, alegando ter cometido os assaltos para "sustentar" o vício da droga, dado ter sido consumidor de cocaína e haxixe.

O caso da idosa que morreu durante o assalto, ocorreu na manhã de 8 de agosto de 2013, quando o arguido entrou na casa situada na rua do Outeiro, em Lobão, Santa Maria da Feira, com o propósito de a assaltar.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), o ladrão deu um empurrão à idosa, que caiu inanimada no chão, e fugiu do local com um envelope contendo 600 euros.

A idosa só veio a ser encontrada morta pela filha, poucas horas mais tarde.

Antes deste caso, o arguido já tinha assaltado outra casa, em julho de 2013, de onde levou vários artigos em ouro e 950 euros.

O suspeito acabou por ser apanhado no mês de setembro, quando assaltava outra casa, em Lourosa.