Portugal vai estudar o enquadramento institucional e os direitos sexuais das pessoas transgénero residentes no país, no âmbito de um projeto europeu que abrange também a França, Reino Unido, Holanda e Suécia.

O projeto, que será desenvolvido em Portugal pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e coordenado pela socióloga Sofia Aboim, vai ser financiado em um milhão de euros pelo European Research Council, anunciou hoje a universidade.

«O TransRigts - Cidadania de género e direitos sexuais na Europa: vidas transgénero numa perspetiva transnacional -, é um projeto que propõe investigar as vidas das pessoas transgénero, bem como o aparato institucional que as enquadra em cinco países europeus: Portugal, França, Reino Unido, Holanda e Suécia», refere a instituição em comunicado.

O estudo pretende, através de testemunhos, escrutinar os efeitos das políticas de género sobre a vida destas pessoas, analisar os seus direitos sexuais e identificar lacunas nestas matérias.

«O objetivo não é o de levar a cabo uma monografia sobre diferentes grupos de pessoas transgénero, mas o de, através delas enquanto representativas de uma das fronteiras mais complexas no campo do género, alcançar uma compreensão profunda das mudanças operadas nesta área, observando as questões da cidadania e dos direitos», sublinha o comunicado.

A socióloga Sofia Aboim é investigadora auxiliar do Instituto de Ciências Sociais (ICS), onde trabalha desde 1997, e membro do GEXcel − International Collegium for Advanced Transdisciplinary Gender Studies, sediado nas Universidades de Linköping, Karlstad e Örebro na Suécia.

Do seu trabalho, destacam-se as investigações nas áreas da família, do género e da sexualidade, da discriminação social, das migrações e das sociedades pós-coloniais.