A estrada municipal que faz a ligação entre Sobral Ceira (Coimbra) e Vale de Açor (Miranda do Corvo) vai manter-se encerrada ao trânsito por questões de segurança, disse hoje à agência Lusa fonte do consórcio Ascendi.

De acordo com a mesma fonte, a estrada foi cortada na segunda-feira ao início da noite devido a um «inesperado problema com a desmontagem da viga de lançamento utilizada para a betonagem do tabuleiro» da ponte em construção sobre o Rio Corvo da Autoestrada 13, que liga Tomar a Coimbra.

A operação que estava em curso, acompanhada por técnicos especializados, foi imediatamente interrompida, não tendo do incidente resultado qualquer vítima.

«Decorre neste momento a avaliação detalhada da situação com vista à definição das adequadas metodologias de remoção, com segurança, da estrutura metálica danificada. Até este diagnóstico estar concluído, não nos é possível determinar quando a circulação na EM568 poderá ser restabelecida», salienta a Ascendi, em comunicado enviado à Lusa.

A interrupção de trânsito entre Sobral Ceira e Vale de Açor afeta a circulação dos autocarros que efetuam os transportes alternativos no ramal ferroviário da Lousã, obrigados a desviar as carreiras por outras estradas.

A construção da A13, que resulta da conversão do IC3, no âmbito da subconcessão do Pinhal Interior, vai ligar Tomar a Coimbra, cruzando os concelhos de Coimbra, Condeixa-a-Nova, Miranda do Corvo, Penela, Figueiró dos Vinhos, Ansião, Alvaiázere, Ferreira do Zêzere e Tomar.

O traçado inicial que previa a ligação ao IC2 e ao IP3, em Coimbra-Norte, foi encurtado para a zona de Ceira, atualmente em obras que devem estar concluídas em março deste ano.

O sublanço da A13 entre Penela e Condeixa, numa extensão de 23 quilómetros, abriu ao trânsito na madrugada de 01 de dezembro de 2012.