A GNR intensifica, a partir de sexta-feira, o patrulhamento rodoviário nas vias mais críticas com o objetivo de combater os acidentes e garantir a fluidez do trânsito durante os feriados da próxima semana.

A operação “Viagem Tranquila” vai decorrer até ao domingo, 18 de junho, em todo o país. A GNR vai reforçar o patrulhamento nas vias mais críticas face aos fluxos de trânsito previsíveis nos feriados de Santo António (celebrado a 13) e Corpo de Deus (dia 15), adianta um comunicado da a Guarda Nacional Republicana.

Segundo a GNR, o objetivo da operação é combater a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, proporcionando-lhes uma deslocação em segurança.

Para a operação vão estar destacados militares dos comandos territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, que vão estar “especialmente atentos aos comportamentos de risco geradores de acidentes ou que agravem as suas consequências”.

Nesse sentido, os militares vão dar especial atenção ao cumprimento das regras de trânsito, como manobras de ultrapassagem, mudança de direção, posição de marcha, inversão do sentido de marcha, cedência de passagem e distância de segurança, e condução sob a influência do álcool e de substâncias psicotrópicas.

A condução sem habilitação legal, utilização do cinto de segurança e cadeirinhas para crianças, uso do telemóvel durante a condução e excesso de velocidade são outros dos comportamentos que os militares vão dar atenção durante a operação de dez dias.

Álcool: 249 em infração

Quase 80 condutores foram detidos por excesso de álcool durante os três dias da operação realizada pela Guarda Nacional Republicana nas vias onde este tipo de infração é mais frequente, indicou a corporação.

A GNR intensificou, entre segunda-feira e quarta-feira em todo o país, a fiscalização à condução sob efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas, tendo os militares daquela força de segurança direcionado as ações para as vias onde estas infrações são mais frequentes.

Em comunicado, a GNR adianta que, no âmbito da operação, 16.474 condutores foram submetidos ao teste de alcoolemia. Destes, 249 estavam em infração e 77 foram detidos, porque apresentaram uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 gramas por litro, o que constitui crime.

Esta força de segurança realizou o teste às substâncias psicotrópicas a 23 condutores, dois dos quais apresentaram resultados positivos.

Esta operação, levada a cabo por militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos comandos territoriais, foi também realizada em todos os países da Europa e enquadra-se no plano definido pela European Traffic Police Network (TISPOL), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa, no qual a GNR é a representante nacional.