Um guarda prisional e um recluso em gozo de licença jurisdicional, detidos na terça-feira em Coimbra, estão indiciados pelos crimes de tráfico agravado de estupefacientes e corrupção, informou a Polícia Judiciária (PJ), nesta quarta-feira.

Em comunicado, a PJ afirma que as detenções ocorreram no decurso de uma investigação da Diretoria do Centro "que visa combater a introdução de produtos estupefacientes e outros artigos de utilização proibida em meio prisional" e ocorreram em "estreita colaboração" com a Direção-Geral dos Serviços Prisionais e Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra.

"Os visados foram abordados e detidos após o recluso ter entregue ao guarda prisional um saco contendo vários artigos, que este se encarregaria de fazer entrar discretamente no Estabelecimento Prisional de Coimbra, concretamente mil doses de haxixe, três telemóveis e respetivos carregadores, setenta e dois comprimidos utilizados para aumentar a massa muscular e melhorar o desempenho físico, vários cartões de telemóvel e pen's USB", esclareceu a PJ.

Para além destes artigos, foi ainda encontrado na posse do guarda prisional um envelope contendo 680 euros em numerário "que havia acabado de receber das mãos do recluso, como pagamento pelos ‘serviços' que se propunha prestar".

Os detidos, com 56 e 52 anos, irão ser presentes a tribunal para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventuais medidas de coação.