Uma mulher foi constituída arguida por suspeita de tráfico de pessoas e auxílio à imigração ilegal, depois de ter mantido um cidadão africano ao seu serviço, sem qualquer remuneração, anunciou o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

O SEF atuou em colaboração com a PSP para resgatar o cidadão de origem africana que se encontrava em situação de exploração e “servidão doméstica” numa casa na margem sul de Lisboa.

Segundo o SEF, a vítima tem 30 anos e não possui qualquer instrução escolar, tendo chegado a Portugal convencida de que vinha passar um período de férias, na sequência de um convite de familiares da proprietária da moradia, de acordo com a Lusa.

A investigação prossegue-se e estão em curso diligências para “repatriar a vítima em segurança” para o país de origem, conforme intenção declarada pela mesma, refere o SEF.