A Guarda Nacional Republicana (GNR) efetuou 154 detenções durante o fim de semana, a maioria (87) por condução sob efeito do álcool e 15 por tráfico de droga, informou esta segunda-feira a GNR.

As restantes detenções deveram-se à condução sem carta (16), furto (6) e posse de arma proibida (3).

Durante as ações de prevenção e combate à criminalidade e fiscalização rodoviária, a GNR apreendeu 3.212 doses de haxixe, 277 doses de cocaína, 11 plantas de cannabis, 65 gramas de MDMA, três armas de fogo, 25 munições.

Quanto ao trânsito, 6.688 condutores foram fiscalizados, o que permitiu detetar 1.556 infrações, 442 por excessos de velocidade, 238 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, 112 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças e 66 por falta de inspeção periódica obrigatória.

A GNR contabilizou ainda 46 infrações por uso indevido do telemóvel no exercício da condução, 21 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório e 15 relacionadas com tacógrafos.

A Guarda Nacional Republicana informou, também esta segunda-feira, que detetou, na última semana, 813 infrações relativas ao uso do cinto de segurança e ao sistema de retenção para crianças (SRC).

Em relação ao uso cinto de segurança, registaram-se 778 infrações e quanto ao SRC 35 infrações.

Leiria bateu o recorde de infrações ligadas ao cinto de segurança (112), embora quanto ao SRC só tenha registado uma infração.

Porto, com 108 infrações (cinto de segurança) e SRC (2), Setúbal (90 - 2), Braga (69 - 2), Lisboa (56 - 4), Aveiro (52 - 4) e Faro (45 - 5) foram os distritos com maior número de infrações detetadas pelos cerca de 5.00 oepracionais da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais.

Estudos internacionais demonstram que a utilização destes dispositivos reduz a ocorrência e/ou gravidade de lesões sofridas pelos ocupantes de uma viatura, em caso de acidente de viação.

Esta operação foi realizada de igual modo em todos os países da Europa e enquadra-se no plano definido pela European Traffic Police Network (TISPOL), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa, no qual a GNR é a representante nacional.