“O Governo diz que é falso, mas estes mapas provam o contrário”, disse.

Contactado pela agência Lusa, o Centro Hospitalar de Gaia/Espinho afirmou que “dados os constrangimentos associados à escassez de Recursos Humanos e de forma a garantir os cuidados assistenciais sem colocar em causa a segurança do doente, têm-se verificado dificuldades associadas à elaboração dos horários de trabalho”.