«A minha grande preocupação, desde o primeiro dia, foi a parte emocional das crianças e como esta ficaria afetada pelo tornado». «Que afetaria, eu nunca tive dúvida nenhuma»


«Localmente era muito difícil, não tinham meios, mas nunca baixei os braços e, de contacto em contacto, cheguei ao enfermeiro António Nabais, da Área de Pedopsiquiatria do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC) que, através de uma intervenção inédita, proporcionou uma progressiva tranquilidade às crianças». «As crianças foram encarando a situação por que passaram com mais tranquilidade e adquirindo a capacidade de ultrapassar o que viveram»






A terapia