“A resposta quer da prevenção dos atentados, quer de ataque ao chamado EI é perfeitamente legítima à luz das leis de Direito internacional porque é uma ocupação abusiva de um território”, realçou.