A Comunidade Islâmica de Lisboa apelou hoje para que o mundo seja um «espaço seguro para uma convivência pacífica de todos os seres humanos», em reação ao ataque de quarta-feira contra o jornal satírico francês Charlie Hebdo, que provocou 12 mortos.

«Que o mundo se transforme num espaço seguro para uma convivência pacífica de todos os seres humanos», refere um comunicado assinado pelo presidente da Comunidade Islâmica de Lisboa, Abdool Vakil.

O comunicado, que cita o profeta Maomé a afirmar que «o verdadeiro crente é aquele que transmite segurança às pessoas quanto às suas vidas e aos seus bens», adianta que a vida do próprio profeta «encontra-se repleta de exemplos de tolerância e perdão para com todos aqueles que o ofenderam, insultaram, mal trataram ou, mesmo, perseguiram».

«O verdadeiro muçulmano é aquele de cuja língua e das suas mãos todos se encontram a salvo», cita ainda o comunicado.

Os autores do ataque contra o Carlie Hebdo, que se tornou notório por publicar desenhos satíricos do profeta Maomé, gritaram «Allah Akbar» (Alá é Grande) e afirmaram pretender «vingar o profeta».