O incêndio de Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo, lavra há quase 24 horas. As chamas consomem mato e floresta e no terreno estão mais de 160 bombeiros, apoiados por 49 viaturas e dois aviões pesados

As chamas estão a cerca de cinco quilómetros do concelho vizinho de Caminha, tendo "já atravessado o rio Coura".

Em declarações à agência Lusa, o segundo comandante distrital de Santarém, José Guilherme, responsável pelas operações de combate ao incêndio, explicou que a "nova progressão" foi provocada "por uma alteração de ventos".

"O fogo acaba de passar o rio Coura e dirige-se para a freguesia de Arga de Baixo (Caminha), encontrando-se a cerca de quatro a cinco quilómetros dessa localidade", disse o comandante, adiantando que o incêndio tem uma frente com cerca de dez quilómetros de extensão, mas que "no momento, não há habitações em risco ou ameaçadas pelas chamas".

Um outro incêndio deflagra em Monção, também no distrito de Viana de Castelo. No terreno estão 84 operacionais e 26 meios.

Em Terras de Bouro, distrito de Braga, as chamas foram finalmente dominadas a meio desta manhã. Ao início do dia de hoje ainda estavam no terreno mais de 160 bombeiros, apoiados por 70 viaturas, e ainda um helicóptero pesado nas operações de combate às chamas.

Quase uma centena de incêndios deflagraram em Portugal nas primeiras oito horas do dia de hoje, segundo o site da Autoridade Nacional da Proteção Civil, que às 08:20 registava 10 fogos em curso.

As situações que mais meios humanos mobilizavam após as 08:00 eram os incêndios de Vila Nova de Cerveira e o de Terras de Bouro.

Segundo a página da internet da Proteção Civil, desde as 00:00 de hoje ocorreram 97 incêndios rurais, em zonas de floresta ou mato.

A temperatura em Portugal Continental vai chegar hoje perto dos 40 graus de máxima por causa de uma massa de ar quente e seco, alertou no sábado o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA prevê que as temperaturas máximas oscilem hoje entre os 30 e os 40 graus, com as máximas mais elevadas a serem antecipadas para Lisboa, Setúbal, Santarém e interior do Alentejo.

A razão de ser deste aumento da temperatura no continente é uma massa de ar quente e seco, proveniente do interior da Península Ibérica e do Norte de África durante o dia de hoje e segunda-feira.