O tempo quente vai marcar o fim de semana e prolongar-se até quarta-feira, com as temperaturas máximas a variar entre 32 e 42 graus e as mínimas a ultrapassar os 20. 

Em declarações à agência Lusa, a especialista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) disse que a partir de sábado as temperaturas máximas e mínimas vão subir na generalidade do território devido a uma massa de ar quente e tropical vinda do norte de África.

Hoje é ainda um dia fresco com muita nebulosidade no litoral a norte do Cabo Raso, mas a partir de sábado regressa o tempo quente e é um cenário previsível até segunda, terça ou mesmo quarta-feira”, disse a meteorologista Maria João Frada.

De acordo com Maria João Frada, o vento vai rodar para o quadrante leste e transportar uma massa de ar quente e seca do interior da Península Ibérica e do norte de África.

“Esta massa de ar tropical vai dar origem a um episódio de tempo quente na generalidade do território com máximas a variar entre 32/34 e os 40/42 graus Celsius em alguns locais, com exceção das terras altas”, disse.

A meteorologista adiantou também que as noites vão ser tropicais, variando entre os 20 e os 25 graus, com exceção das terras altas.

“O vento será em geral fraco, soprando temporariamente de noroeste na faixa costeira ocidental durante a tarde e de sueste na costa sul do Algarve”, salientou.

De acordo com Maria João Frada, este episódio de tempo quente terá início nas regiões do interior, afetando as regiões do litoral a partir de sábado.

Aviso amarelo em 18 distritos

O IPMA emitiu um ‘Aviso Amarelo’ para os 18 distritos de Portugal continental devido ao tempo quente, com persistência de valores elevados das temperaturas mínimas e máximas.

O ‘Aviso Amarelo’ para o continente vai estar em vigor entre as 13:00 de sábado e as 07:00 de domingo. Emitiu também um ‘Aviso Laranja’ para as regiões montanhosas da ilha da Madeira na sexta-feira e sábado.

Na quarta-feira, o IPMA adiantou em comunicado que o arquipélago da Madeira vai estar entre sexta-feira e terça-feira da próxima semana sob a influência direta de uma massa de ar tropical continental, quente e seco, segundo apurou a Lusa.