O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou toda a costa de Portugal continental sob aviso amarelo, devido à agitação marítima, e quatro distritos sob aviso laranja, devido à previsão da queda de chuva forte.

De acordo com informação disponibilizada no site do IPMA, todos os distritos de Portugal Continental com costa estão sob aviso amarelo, o terceiro mais grave numa escala de quatro, até às 05:59 de quarta-feira, devido à previsão de ondas de noroeste com quatro a cinco metros de altura.

Nos distritos de Viana do Castelo, Braga e Porto, o aviso é válido desde as 20:00 de hoje, nos de Aveiro Coimbra, Leiria e Lisboa desde as 21:00, e nos de Setúbal, Beja e Faro desde as 06:00 de terça-feira.

Viseu, Vila Real, Aveiro e Coimbra estão sob aviso laranja, o segundo mais grave numa escala de quatro, até às 23:59 de hoje, devido a «períodos de chuva persistente e forte».

Além disso, estão sob aviso amarelo, devido à previsão de vento forte, até às 23:59 de hoje, os distritos do Porto, Viana do Castelo e Aveiro, até às 02:59 de terça-feira, os distritos de Bragança, Viseu, Guarda, Vila Real, Castelo Branco e Braga, até às 05:59 de terça-feira, Faro e Portalegre, e até às 17:59 de terça-feira, Setúbal, Lisboa, Leiria, Beja, Coimbra.

A previsão de períodos de chuva forte fez com que o IPMA colocasse sob aviso amarelo os distritos de Bragança e Guarda, até às 23:59 de hoje, Setúbal, Santarém, Lisboa e Castelo Branco, até às 03:59 de terça-feira, Leiria, até às 02:59 de terça-feira, Évora, Faro, Beja e Portalegre, até às 05:59 de terça-feira.

Seis barras marítimas fechadas e três condicionadas

Seis barras marítimas no continente estão fechadas a toda a navegação e outras três estão condicionadas devido à agitação marítima, segundo informação disponível na página da internet da Marinha.

De acordo com a informação da Marinha, com atualização feita às 17:56, há seis barras marítimas em Portugal Continental que estão fechadas a toda a navegação, sendo elas Caminha, Vila Praia de Âncora, Esposende, Póvoa de Varzim, Douro e São Martinho do Porto.

Já as barras de Vila do Conde, Aveiro e Figueira da Foz estão condicionadas, havendo indicações específicas quanto às embarcações que podem ou não sair para o mar.

Relativamente à barra de Vila do Conde, a Marinha deixa a indicação que «as embarcações de comprimento até 12 metros e/ou calado inferior a dois metros devem praticar a barra apenas no período compreendido entre duas horas e duas horas após a preia-mar».

Acrescenta que as «embarcações com comprimento superior a 12 metros e/ou calado superior a dois metros devem praticar barra apenas na preia-mar».

Por outro lado, as barras de Aveiro e da Figueira da Foz estão condicionadas a embarcações de comprimento inferior a 35 metros.