Sete distritos do interior Norte, Centro e Sul do país estão esta quarta-feira sob aviso amarelo do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) devido ao tempo quente.

Estão sob aviso amarelo, o terceiro mais greve de quatro níveis, os distritos de Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora, Beja e Setúbal.

No caso do distrito de Setúbal, o aviso amarelo dura até às 21:00 de hoje e nos restantes prolonga-se até às 21:00 de quinta-feira.

O aviso amarelo é emitido para os casos de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Para hoje, o IPMA prevê uma pequena subida da temperatura mínima e vento forte com rajadas no litoral oeste e nas terras altas.

Com a subida das temperaturas, os termómetros deverão chegar aos 39 graus em Beja e Évora, 38 em Castelo Branco, 37 em Portalegre, 36 em Santarém, 34 em Bragança, 33 em Vila Real e Viseu, 32 em Lisboa e 31 em Coimbra.

Para os Açores esperam-se períodos de céu muito nublado e aguaceiros nos grupos Central e Ocidental.

Na Madeira é esperado céu muito nublado, apresentando-se geralmente pouco nublado nas vertentes sul da ilha da Madeira. O vento será moderado de nordeste, soprando moderado a forte nas terras altas até meio da manhã.

 

Évora e Beja com risco 'extremo' de exposição à radição UV

Os distritos de Évora e Beja apresentam risco ‘extremo' de exposição à radiação ultravioleta (UV), enquanto os restantes do continente, a Madeira e o grupo Ocidental dos Açores estão em risco ‘muito elevado’.

Ainda de acordo com o IPMA, apenas os grupos Central e Oriental dos Açores apresentam um valor 'moderado' de exposição a estes raios.

O risco 'extremo' corresponde a uma situação de "perigo" aconselhando o IPMA a que se evite o mais possível a exposição ao Sol. No caso de risco 'muito elevado' é recomendado o uso de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol e protetor solar, além de desaconselhar a exposição das crianças ao sol.

Os índices UV variam entre 1 e 2, em que o UV é 'baixo', 3 a 5 ('moderado'), 6 a 7 ('elevado'), 8 a 10 ('muito elevado') e superior a 11 ('extremo').

 

30 concelhos em risco "máximo" de incêndio

Cerca de 30 concelhos da região de Trás-os-Montes e do Centro do país, onde se concentram os maiores incêndios, e quatro concelhos do Algarve estão em risco 'Máximo' de incêndio.

Segundo o IPMA, tratam-se de cerca de 30 municípios dos distritos de Castelo Branco, Guarda, Coimbra, Leiria, Santarém e Portalegre, assim como os concelhos de Monchique, Tavira, Castro Marim e Alcoutim, no distrito de Faro.

Estão em risco 'Muito Elevado' de incêndio mais de 70 concelhos das regiões Norte e Centro e oito municípios do Alentejo e Algarve.

O IPMA coloca ainda em risco 'Elevado' cerca de 60 concelhos que abrangem toda a região do Alentejo e parte dos distritos de Lisboa, Leiria, Coimbra, Viseu, Porto, Viana do Castelo e Vila Real.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre "Reduzido" e "Máximo".

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.