O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê para este domingo, para o continente, céu pouco nublado, aumentando de nebulosidade no litoral Norte e Centro no fim da tarde e chuva no Minho no final do dia.

Porto e Viana do Castelo terão uma máxima de 25º e Évora e Beja de 34º.

Para os Açores são esperados períodos de céu muito nublado com abertas.

Ponta Delgada (S. Miguel) vai chegar aos 27º, Angra do Heroísmo (Terceira) e Santa Cruz das Flores (Flores) vão atingir os 28º e Horta (Faial) os 26º.

A Madeira vai apresentar períodos de céu muito nublado, apresentando-se pouco nublado nas vertentes sul e vento fraco a moderado predominando de nordeste.

No Funchal a temperatura chegará aos 27º.

 

Todo o território com risco 'muito elevado' de radiação ultravioleta

Portugal apresenta um risco de exposição à radiação ultravioleta (UV) ‘muito elevado’ em todos os distritos do continente.

Para as regiões com risco 'muito elevado', o IPMA recomenda o uso de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol e protetor solar, além de desaconselhar a exposição das crianças ao sol.

Os índices UV variam entre 1 e 2, em que o UV é 'baixo', 3 a 5 ('moderado'), 6 a 7 ('elevado'), 8 a 10 ('muito elevado') e superior a 11 ('extremo').

 

Mais de 60 concelhos em risco máximo de incêndio

Mais de 60 concelhos do interior Norte e Centro e do Algarve estão em risco máximo de incêndio e outras seis dezenas em risco muito elevado, ainda segundo o IPMA.

São 65 os concelhos em risco máximo de incêndio, sendo Lisboa, Ílhavo e Aveiro os únicos concelhos do continente com risco reduzido de fogos.

No distrito do Porto está em risco máximo de incêndio o concelho de Valongo, em Aveiro os concelhos de Vale de Cambra, Arouca e Castelo de Paiva e em Vila Real estão os concelhos de Murça, Alijó e Sabrosa.

São Pedro do Sul, Cinfães, Resende, Vila Nova de Paiva, Tarouca, Tabuaço, Sernancelhe e Penedono são os concelhos em risco máximo de incêndio no distrito de Viseu.

Em Bragança, estão em risco máximo de incêndio Carrazeda de Ansiães, Alfândega da Fé, Torre de Moncorvo, Vimioso, Mogadouro, Vila Flor e Freixo-de-Espada-à-Cinta.

No distrito da Guarda, estão em risco máximo Trancoso, Pinhel, Figueira de Castelo Rodrigo, Vila Nova de Foz Côa, Mêda, Fornos de Algodres, Gouveia, Seia, Manteigas, Guarda e Sabugal e no de Castelo Branco estão o da Covilhã, Penamacor, Vila Velha de Ródão, Proença-a-Nova, Vila de Rei, Sertã e Oleiros.

Figueiró dos Vinhos, Alvaiázere, Ferreira do Zêzere e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, Arganil, Penacova, Vila Nova de Poiares, Miranda do Corvo, Lousã, Penela, Góis e Pampilhosa da Serra, no de Coimbra, Abrantes e Mação no de Santarém e Gavião, Marvão e Nisa no de Portalegre.

No sul, está em risco máximo o concelho de Odemira (Beja) e os de Monchique, Aljezur, Loulé, Tavira, São Brás de Alportel, Alcoutim e Castro Marim, em Faro.

Em risco muito elevado de incêndio estão cerca de 70 municípios, sobretudo no Norte e Centro do continente.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre o "Reduzido" e o "Máximo".

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.