Para esta terça-feira, o IPMA prevê céu pouco nublado ou limpo, com aumento de nebulosidade para o final do dia no litoral das regiões Norte e Centro.

A Madeira continua sob aviso amarelo devido à persistência de valores relativamente elevados da temperatura máxima.

O vento vai estar fraco a moderado (10 a 25 quilómetros/hora) do quadrante norte, soprando moderado a forte (25 a 40 quilómetros/hora), com rajadas da ordem de 50/60 quilómetros/hora, nas terras altas e no litoral oeste, em especial a sul do Cabo Mondego e durante a tarde.

As temperaturas vão variar entre 18 e 29 graus Celsius em Lisboa, entre 15 e 24 no Porto, em Viana do Castelo entre 15 e 25, Bragança entre 14 e 32, em Braga entre 13 e 29, em Vila Real entre 15 e 31, Viseu entre 15 e 30, em Coimbra entre 15 e 28, na Guarda de 16 e 29, em Castelo Branco entre 19 e 36, Portalegre entre 22 e 37, Évora entre 16 e 36, Beja entre 16 e 37, em Faro entre 23 e 32, em Santarém entre 18 e 31, em Leiria 16 e 26, Setúbal entre 17 e 27, no Funchal entre 23 e 28, em Ponta Delgada entre 21 e 26, em Angra do Heroísmo entre 22 e 28 e em Santa Cruz das Flores entre 23 e 27.

As regiões da Guarda, Penhas Douradas e Viseu, bem como as cidades de Angra do Heroísmo (Terceira) e Ponta Delgada (São Miguel), nos Açores, estão, por isso, em alerta devido ao risco extremo de exposição à radiação ultravioleta (UV).

Nas regiões que se encontram em risco extremo, as pessoas são aconselhadas a evitar o mais possível a exposição ao sol.

Outras localidades apresentam um risco muito alto de exposição UV (nível 10), como é o caso de Aveiro, Beja, Bragança, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Leiria, Lisboa, Porto, Portalegre, Sagres, Santarém, Setúbal, Sines, Viana do Castelo, Vila Real e Funchal (Madeira).


Risco máximo em seis distritos no continente

Por conseguinte, 19 concelhos de seis distritos de Portugal continental apresentam um 'risco máximo' de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA).

De acordo com o portal do IPMA, estão em alerta máximo para os fogos florestais os concelhos de Trancoso, Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Gouveia, Guarda e Sabugal, no distrito da Guarda; Arganil, Pampilhosa da Serra, Miranda do Corvo e Góis, no distrito de Coimbra; Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Pedrogão Grande, em Leiria; Oleiros, Sertã e Vila de Rei, em Castelo Branco; e Sardoal e Mação em Santarém, como cita a Lusa.

A sul do Tejo, só o concelho de Monchique, em Faro, apresenta o risco de incêndio máximo.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.