Uma tempestade, com chuva forte, vento, granizo e trovoada, surpreendeu, esta quarta-feira a região de Lamego, no distrito de Viseu.

Apesar de já estar prevista a ocorrência de chuvas e trovoadas no Interior e Norte de Portugal, o fenómeno surpreendeu por causa das altas temperaturas que se faziam registar àquela hora, quando, na Rússia, Portugal defrontava a seleção de Marrocos para o Mundial.

Uma testemunha ouvida pelo The Weather Channel garantiu ter visto pedras com dois centímetros de diâmetro.

Vários espetadores da TVI enviaram fotografias e vídeos para o Eu Vi.

Além do concelho de Lamego, também Armamar e Resende, também no norte do distrito de Viseu, foram afetados pelo mau tempo, que provocou inundações e quedas de árvores, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro.

Segundo a mesma fonte, a chuva forte sentiu-se a partir das 15:00 e, dos três concelhos, o de Lamego foi o mais afetado.

Há várias ocorrências de inundações e quedas de árvores devido ao mau tempo, mas sem gravidade", referiu.

50 ocorrências em Lamego

A “precipitação anormal, sob a forma de granizo de grande calibre”, registada às 15:00, provocou perto de 50 ocorrências no concelho de Lamego, metade das quais já estavam resolvidas às 17:45, segundo anunciou a autarquia.

Segundo a mesma fonte, esta situação provocou “diversas inundações e infiltrações pelos telhados das habitações, bem como a queda de árvores e cortes de abastecimento elétrico”.

Este fenómeno concentrou-se sobretudo na cidade de Lamego e na freguesia de Cambres, onde subsistem ainda alguns cortes de energia elétrica”, acrescenta.

A autarquia refere que se verificou também “um acidente de viação na (autoestrada) A24, junto a Valdigem, com dois feridos ligeiros, e uma derrocada na EN (Estrada Nacional) 222, em Bagaúste, que não provocou o corte da via”.

Felizmente, não há a lamentar quaisquer vítimas ou feridos graves”, frisou.

A Proteção Civil de Lamego está a coordenar “um dispositivo envolvendo o próprio serviço municipal de Proteção Civil, os bombeiros, a PSP, a GNR e a Divisão de Serviços Urbanos” da Câmara, que integra “cerca de 53 homens e 24 viaturas”.

Neste momento, a prioridade é a salvaguarda de pessoas e bens e o restabelecimento de serviços afetados, desimpedimento e limpeza de vias interrompidas e a resolução de situações particulares, nomeadamente a inundação de caves de habitações”, explica.

A autarquia garante que está no terreno “em avaliação constante, com vista a atender a todas as ocorrências que se deparem fruto do que ocorreu”.

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Viseu, além de Lamego, foram também afetados pelo mau tempo os concelhos de Armamar e Resende.