O mau tempo já originou 149 ocorrências no continente português desde a tarde de terça-feira, como quedas de árvores ou inundações, sendo os distritos de Aveiro, Coimbra e Viseu os mais afetados, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

“O mau tempo já originou 149 ocorrências desde as 15:00 de terça-feira. Registámos 40 quedas de árvores, 58 inundações, 21 quedas de estruturas e 24 vias que necessitaram de limpeza, com os distritos de Aveiro, Coimbra e Viseu a serem os mais afetados”, referiu a fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), cerca das 00:00 desta quarta-feira.

A tempestade Bruno não afeta diretamente Portugal, mas o sistema frontal que lhe está associado piorou as condições do tempo desde o final do dia de terça-feira.

Foram lançados avisos de precipitação, de rajadas (vento) e de agitação marítima para o país inteiro, sendo que o aviso laranja (o segundo mais grave) foi emitido para os distritos de Viana do Castelo, Porto, Braga, Vila Real e Guarda.

Segundo a mesma fonte da ANPC, os distritos de Viana do Castelo, Braga e Porto também foram afetados pelo mau tempo, mas com uma intensidade menor.

A precipitação não será o mais grave, o mais grave será o vento e a agitação marítima. Podemos ter zonas com uma precipitação forte, mas por curtos períodos de tempo”, disse.

Para Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real e Guarda são esperadas rajadas de vento de 80 quilómetros por hora, que podem atingir os 120 quilómetros por hora nas terras altas.

No que respeita à agitação marítima, as ondas serão de noroeste com cinco a seis metros, podendo atingir o máximo de 10 metros.