As temperaturas máximas vão subir gradualmente, entre três e sete graus, a partir de hoje, devido a uma «massa de ar quente e seca», disse à agência Lusa a meteorologista Madalena Rodrigues

Um comunicado publicado no site do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) refere que, a partir de hoje, haverá uma «mudança significativa na situação meteorológica, devido ao estabelecimento de um anticiclone na região adjacente à Península Ibérica e ao transporte para o território do Continente de uma massa de ar quente e seco».

A meteorologista Madalena Rodrigues explicou que esta massa de ar quente e seca «vai dar origem a temperaturas elevadas durante a próxima semana».

«Hoje é o dia em que se espera maior subida da temperatura máxima, na segunda-feira mantém-se praticamente igual, podendo subir um a dois graus em alguns locais», afirmou, acrescentando que nos dias seguintes não haverá alterações significativas.

A partir de sexta-feira, já se espera uma pequena descida da temperatura, adiantou Madalena Rodrigues.

Apesar de estas temperaturas não serem uma «situação anormal», a meteorologista disse que «estão acima dos valores médios para este mês do ano».

«Ainda não podemos falar do
verão de São Martinho, que ainda está um bocadinho distante, mas podemos considerar que são umas temperaturas um pouco altas para este mês, a rondarem os 29, 31 graus Celsius na região de Vale do Tejo e nas regiões do interior Sul entre os 30 e os 33 graus», comentou.

O IPMA prevê para hoje céu pouco nublado, apresentando períodos de maior nebulosidade por nuvens altas a partir da manhã, e subida da temperatura máxima.

As temperaturas máximas previstas para hoje são de 28ºC para Lisboa e 27ºC para o Porto e Faro.