Guarda, Viseu, Braga, Viana do Castelo, Bragança, Porto e Vila Real estão sob aviso amarelo do Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) nesta sexta-feira, devido à possibilidade de ocorrência de aguaceiros de granizo, acompanhados de trovoada.

Os avisos são emitidos em função das seguintes situações: vento forte, precipitação forte, queda de neve, trovoada, frio, calor, nevoeiro persistente e agitação marítima.

A situação de risco é avaliada segundo três cores que refletem o grau de intensidade do fenómeno: amarelo (situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica), laranja (situação meteorológica de risco moderado a elevado) e vermelho (risco extremo).

No arquipélago da Madeira, o IPMA mantém também o aviso amarelo para o calor, devido à persistência de valores elevados da temperatura máxima, nas cortes norte e sul da ilha da Madeira e em Porto Santo.

O IPMA prevê para hoje, nas regiões norte e centro, céu com períodos de muita nebulosidade, apresentando-se muito nublado até meio da manhã, com ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco no litoral.

Até ao final da tarde poderá ocorrer granizo, acompanhado de trovoadas, em especial no interior. Prevê-se igualmente neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral e pequena descida da temperatura máxima.

Na região sul, o céu vai apresentar-se com períodos de muita nebulosidade, tornando-se pouco nublado a partir do meio da tarde no Baixo Alentejo e Algarve. Pode verificar-se chuva fraca ou aguaceiros até ao final da manhã no Alentejo. Haverá neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do litoral oeste e pequena descida da temperatura máxima.

As temperaturas deverão variar entre 20 e 25 graus em Lisboa, entre 18 e 25 no Porto, em Viana do Castelo entre 16 e 27, Bragança entre 13 e 24, em Braga entre 16 e 26, em Vila Real entre 15 e 24, Viseu entre 15 e 25, em Coimbra entre 18 e 25, na Guarda de 14 a 22, em Castelo Branco entre 17 e 30, Portalegre entre 18 e 28, Évora entre 17 e 30, Beja entre 19 e 29, em Faro entre 21 e 26, em Santarém entre 19 e 28, em Leiria 18 e 24, Setúbal entre 19 e 29, no Funchal entre 22 e 27, em Ponta Delgada entre 20 e 26, em Angra do Heroísmo entre 21 e 27 e em Santa Cruz das Flores entre 22 e 28.


Radiação ultravioleta muito elevada


O risco de exposição à radiação ultravioleta (UV) mantém-se hoje elevado em grande parte do território português, sendo mais intenso nos arquipélagos da Madeira e dos Açores.

Porto Santo (Madeira), Horta e Angra do Heroísmo (Açores) apresentam o risco mais alto de exposição aos raios UV, atingindo o nível 10.

Aveiro, Beja, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Funchal (Madeira), Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Sines, Viana do Castelo, Viseu, Vila Real e Ponta Delgada registam igualmente um índice de UV muito alto (entre 8 e 9).

Em Braga, Porto e Santa Cruz das Flores (Açores) o índice UV é considerado alto (6 a 7)

Os índices UV variam entre menor que 2, em que o UV é Baixo, 3 a 5, Moderado, 6 a 7, Alto, 8 a 10, Muito Alto e superior a 11, Extremo.

Quando o risco é extremo é aconselhável evitar o mais possível a exposição ao sol.


Incêndios: risco muito elevado em 20 concelhos


Vinte concelhos portugueses, maioritariamente do interior do país, apresentam hoje um risco muito elevado de incêndio.

Castelo Branco é o distrito com mais concelhos em risco (Sertã, Oleiros, Vila de Rei, Castelo Branco, Proença-a-Nova e Vila Velha de Rodão), seguindo-se Coimbra (Miranda do Corvo, Arganil, Góis, Lousã e Pampilhosa da Serra).

Alcoutim, Loulé e Monchique, no distrito de Faro, apresentam também um risco muito elevado de fogos florestais, bem como Sardoal e Mação, no distrito de Santarém, Pedrógão Grande (Leiria), Nisa (Portalegre), Portel (Évora) e Barrancos (Beja).

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis: Reduzido, Moderado, Elevado, Muito Elevado e Máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.