«Provocou estragos no telhado e partiu vidros. A escola ficou sem luz e teve de ser encerrada», contou à TVI António Dias, da Proteção Civil do Porto.

Os alunos, os pais e os funcionários não ganharam para o susto, mas, apesar do estrondo e da devastação provocada, ninguém ficou ferido.

Com os estragos por reparar e a falta de energia elétrica, a escola fechou portas e as crianças foram obrigadas a ir a casa.

«Neste momento, a EDP está no local a resolver a situação e a proteção civil a limpar as instalações para que volte ao normal funcionamento», acrescentou.