O tédio pode tornar as pessoas mais criativas. Esta é a conclusão de um estudo realizado pela Universidade Central de Lancashire, no Reino Unido, publicado na revista «The Psychologist».

Sandi Mann, uma das autoras do estudo, pediu aos alunos que dessem um uso criativo a dois copos de plástico. Antes da experiência, os alunos foram divididos em dois grupos e um deles realizou uma tarefa monótona (copiar números diretamente do telefone). Consequentemente, os alunos que fizeram a cópia dos números de telefone encontraram mais usos para os copos do que o outro grupo de alunos.

«O tédio é uma emoção fascinante, porque é visto como tão negativo que acaba por ser uma motivação. É bom estar aborrecido às vezes», afirma a autora do estudo.

Mann sublinha que é muito importante os pais deixarem os filhos aborrecidos para que eles próprios possam aprender a criar o seu próprio entretenimento. «Ao contrário de muitos pais, eu estou muito feliz quando os meus filhos se lamentam por estarem aborrecidos. Descobrir maneiras de se divertirem é uma habilidade importante», acrescenta.

Wijnand van Tilburg, o coautor do estudo, psicólogo na Universidade de Southampton, acredita que o tédio faz com que as pessoas se sintam interessadas em criar atividades que sejam mais apelativas do que aquelas que estão a realizar.

«Essencialmente, a desagradável sensação de tédio ‘lembra’ às pessoas que existem assuntos mais importantes do que aqueles que têm em mão», explica Tilburg.