Atualizada às 19h32

Um comboio de carga privado do grupo Mota Engil descarrilou este quinta-feira no Luso, concelho da Mealhada, estando a circulação ferroviária interrompida na Linha da Beira Alta às 17:00, informou uma fonte da CP.

A composição da empresa Takargo, do grupo Mota Engil, deslocava-se no sentido Guarda-Coimbra quando descarrilou, pouco antes das 14:00, numa ponte próxima da estação do Luso, disse à agência Lusa a fonte das relações públicas da Comboios de Portugal (CP), indicando que o acidente não causou vítimas.

A suspensão temporária da circulação levou a CP a fretar autocarros para assegurar o transbordo dos passageiros dos comboios intercidades e regionais da Linha da Beira Alta, adiantou.

Entretanto, um desses autocarros, que circulava hoje à tarde no IP3 a caminho de Coimbra, teve de parar na zona de Penacova devido a uma avaria, disse à Lusa uma fonte do Destacamento de Trânsito da GNR de Coimbra.

Após 40 minutos de espera, os passageiros puderam seguir viagem, cerca das 17:00, num outro autocarro, enquanto a viatura avariada aguarda agora por assistência mecânica, no nó da Espinheira do IP3, de acordo com a mesma fonte policial.

REFER ainda sem previsões para restabelecimento da circulação

O descarrilamento de um comboio de mercadorias no Luso causou «danos avultados» na infraestrutura ferroviária, revelou a REFER, que não prevê quando será restabelecida a circulação na Linha da Beira Alta.

«A REFER mobilizou de imediato todos os meios para o local no sentido de ser desencadeado o processo de carrilamento do vagão e reparação dos danos», segundo um comunicado da empresa distribuído ao final da tarde.

A Rede Ferroviária Nacional indica que o restabelecimento da circulação «em condições normais» só acontecerá «quando estiverem garantidos todos os requisitos de segurança».

«A CP está a assegurar o transbordo rodoviário aos passageiros», adianta.