O surto de sarampo começou na semana passada, no Norte do país. Importa, por isso, ter noção das estatísticas da vacinação dos últimos anos. A taxa de cobertura vacinal contra este vírus, com duas doses, atingiu um valor igual ou superior aos 98%, em pessoas nascidas entre 1999 e 2009 naquela região. Deu, apenas ligeiramente, para as nascidas em 2011 (97,4%).

Os dados foram divulgados hoje pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte e reportam-se à avaliação feita em dezembro à aplicação do Programa Nacional de Vacinação na região.

De acordo com a ARS do Norte, a taxa de cobertura da vacina contra o sarampo, com as duas doses, atingiu então os 98% para os nascidos em 2009.

Para trás, entre 1999 e 2008, a taxa de cobertura superou os 98% (98,1% para os nascidos em 2008 e 99,1% para os nascidos em 2003).

Já em 2011, baixou ligeiramente, para os 97,4%.

A vacina do sarampo é administrada a crianças com um ano (primeira dose) e com cinco anos (segunda dose).

O último balanço, feito pela DGS ao início da noite desta segunda-feira, contava com 53 casos confirmados de sarampo entre 145 suspeitos.

Num balanço anterior, de manhã, no Porto, a DGS tinha mencionado 42 casos confirmados entre 117 suspeitos.

A maioria dos doentes eram profissionais de saúde, sendo que mais de dois terços estavam vacinados contra o sarampo.

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, disse hoje, em Lisboa, que "não há motivo para preocupação", lembrando os benefícios e a segurança da vacinação contra doenças infecciosas como o sarampo.