O ministro da Saúde anunciou este sábado que foi acionado um plano de contingência para lidar com o surto de legionella que surgiu na sexta-feira em Vila Franca de Xira, que  já matou um homem de 59 anos.

Em declarações aos jornalistas à entrada para uma reunião de emergência das autoridades de saúde, em Lisboa, Paulo Macedo disse que «há um conjunto de medidas que têm vindo a ser tomadas, sendo que a primeira é tratar das pessoas e assegurar número suficiente de camas e a possibilidade de ventilar os doentes com dificuldades especiais».



Paulo Macedo confirmou tratar-se de «um caso que não é normal», mas lembrou que todos os anos «há um número significativo de legionella e, no ano passado, houve 120 casos».

Os especialistas das autoridades de saúde «reuniram-se na sexta-feira com a câmara de Vila Franca e empresas municipais de águas no sentido de o mais cedo possível podermos estabelecer conexões e fazer vários despistes e encontrar pontos comuns a estas pessoas», disse o ministro, acrescentando que «foi feita georreferenciação dos casos» e que todos os «factos vão ser trabalhados para ver como pode ser identificada a origem desta situação e pôr-lhe cobro, que é a segunda prioridade».