«O concelho de Mora assistiu, em 2013, ao nascimento de 26 bebés, correspondendo a subsídios no valor de 19 mil euros», indicou a autarquia. No ano passado, segundo a câmara municipal, nasceram no concelho 16 primeiros filhos, oito segundos, um terceiro e um quarto.

A Câmara de Mora atribuiu 19 mil euros em subsídios de apoio à natalidade, no ano passado pelo nascimento dos 26 bebés no concelho, divulgou o município esta terça-feira. Uma tentativa para contrariar a desertificação e a quebra de natalidade.

No total, desde outubro de 2004, quando lançou a sua política de apoio à natalidade, e até dezembro de 2013, a autarquia já apoiou o nascimento de 213 bebés e atribuiu 160.500 euros em subsídios.

Destes 213 novos habitantes, 130 foram primeiros filhos, 58 segundos filhos, 18 terceiros filhos, cinco quartos filhos e dois quintos filhos.

A câmara municipal subsidia os nascimentos no concelho com 500 euros para o primeiro filho, mil euros para o segundo e 1.500 euros a partir do terceiro.

Em 2004, primeiro ano da implementação dos incentivos à natalidade, foram atribuídos 4 mil euros (de outubro a dezembro), correspondentes a seis nascimentos.

No ano seguinte, o montante subiu para 11 mil euros (14 bebés), passando para 15 mil euros em 2006 (24).

O nascimento de 17 bebés, em 2007, valeu 10.500 euros em incentivos e, em 2008, 13.500 euros foram destinados aos 18 novos bebés do concelho.

Os números continuaram a subir em 2009, com 20 mil euros, relativos a 24 pequenos novos habitantes, atingindo o recorde em 2010, o ano de ¿maior natalidade¿, com 31 nascimentos, correspondentes a 25.500 euros de apoios.

Em 2011, registaram-se 27 nascimentos, num total de 21.000 euros em subsídios, montante igual ao atribuído em 2012 (25 bebés).