Um português, de 43 anos, foi detido, na segunda-feira, por tentar subornar um agente da Guardia Civil de Ourense, na Galiza, para evitar uma multa, confirmou a TVI24 junto da autoridade espanhola. Contactado pela TVI24, o português desmentiu tudo, mas recusou prestar mais esclarecimentos.

Novamente contactada pela TVI24, a Guardia Civil não só manteve todos os factos, como informou ainda que o português foi já presente a um juiz e posteriormente libertado, sem especificar as medidas de coação aplicadas.

Durante uma operação de controlo na Autoestrada 75, ao quilómetro 4, que liga Verín a Chaves, a divisão de trânsito mandou parar um carro da marca Mercedes-Benz, com matrícula portuguesa, para efetuar um controlo de transporte. De acordo com o comunicado da Guardia Civil enviado à TVI24, foram detetadas três violações à Lei de Transportes Terrestres, pelo que seria aplicada uma multa ao condutor.

Nessa altura, o português em questão, "Carlos M. C, 43 anos, natural de França e residente na Amadora", que seguia ao lado do condutor, saiu do veículo e ofereceu uma nota de 100 euros a um dos polícias espanhóis, para evitar a multa.

Dizia em voz baixa que aceitasse o dinheiro, que não os multasse e os deixasse prosseguir; que já o tinha feito em várias ocasiões e que a última tinha sido em Vitoria, num controlo de peso", explica a Guardia Civil.

De imediato, o polícia devolveu a nota e repreendeu o português pela atitude, dizendo-lhe que devia manter-se à margem, já que não era o condutor. Contudo, descreve a autoridade, "alguns minutos depois", o português voltou a tentar subornar o mesmo polícia e foi então que acabou por ser detido e levado para a esquadra local.

Foi depois presente a um juiz e libertado, sem terem sido divulgadas as medidas de coação aplicadas.

Em Espanha, lembra apenas a Guardia Civil, este crime é punível com uma pena de prisão de seis meses a um ano.