O chefe de missão do FMI para Portugal esteve retido 30 a 40 minutos no posto de fronteira do aeroporto de Lisboa no domingo, noticia o Correio da Manhã. Subir Lall não tinha visto válido para entrar no país, uma vez que o carimbo no seu passaporte das Nações Unidas só entrava em vigor a partir do dia seguinte, segunda-feira.

O economista indiano, prossegue o jornal, que cita fonte oficial do SEF a confirmar a informação, teve de formular um pedido de visto de curta duração com validade de um dia, preencher os formulários e aguardar pela luz verde do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Fonte do SEF garante ao jornal que Subir Lall «em momento algum esteve retido, tendo apenas aguardado o tempo necessário ao procedimento de emissão do visto».

O FMI confirma ter-se enganado ao solicitar o visto apenas com data de 21 de abril.