Vários centros de saúde da região da Grande Lisboa estão sem vacinas contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV), mas a Administração Regional de Saúde (ARS) garante a reposição deste produto a partir desta quinta-feira

A administração da vacina contra o HPV, um dos responsáveis do cancro do colo do útero, está contemplada no Plano Nacional de Vacinação desde 2008, sendo gratuita e dada em três doses a raparigas com 13 anos.

Nas últimas semanas registou-se uma falta de vacinas em alguns centros de saúde, situação que é do conhecimento da Direção-Geral da Saúde (DGS), que garante este ser um assunto da responsabilidade da ARS de Lisboa e Vale do Tejo, como disse à Lusa a sub-diretora Graça Freitas.

Contactada pela Lusa, fonte da ARS de Lisboa e Vale do Tejo confirmou a falta pontual desta vacina em alguns centros de saúde, mas garantiu que a partir de desta quinta-feira a mesma começa a ser reposta.

A mesma fonte disse à Lusa que as dificuldades no abastecimento de farmácias se deveram ao processo concursal para a aquisição das vacinas, que são compradas através dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS).