Dois elementos do Sindicato dos Técnicos de Ambulância de Emergência (STAE) aproveitaram a presença do ministro da Saúde no Parlamento, esta quarta-feira, para entregar uma carta a solicitar a demissão do presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Os dirigentes do STAE marcaram presença na Comissão Parlamentar de Saúde, onde decorre uma audição do ministro da Saúde, com o objetivo de entregar uma carta, cuja primeira intenção é a demissão do presidente do INEM, que acusam de atitudes persecutórias.

À margem desta Comissão, e já depois de entregar a carta aos assessores do ministro Paulo Macedo, num momento que não foi presenciado pelos jornalistas, Pedro Moreira (STAE) disse à comunicação social que o objetivo da iniciativa destes elementos foi, em parte, conseguido, uma vez que conseguiram agendar um encontro com a tutela para a próxima semana.

Para Pedro Moreira, existem situações «graves» no INEM, algumas das quais envolvendo o presidente do instituto, a quem responsabilizam das «várias demissões» que têm ocorrido naquele organismo.

Confrontado com a confiança no presidente do INEM, manifestada pelo secretário de Estado e adjunto da Saúde, Fernando Leal da Costa, Pedro Moreira disse que da mesma tomou conhecimento, não concordando com esta postura.

O dirigente do STAE – sindicato que garante representar 80 por cento dos cerca de 900 técnicos do INEM – confirmou que é alvo de um processo disciplinar, o mesmo acontecendo com outros elementos da direção do sindicato.

Para Pedro Moreira, estes processos disciplinares configuram uma situação persecutória e revelam «o ambiente» que se vive no INEM.