Os consumidores domésticos enviaram, no primeiro semestre de 2013, 168.313 toneladas de resíduos para reciclagem. Os valores correspondem a mais três por cento face ao ano anterior, informou hoje a Sociedade Ponto Verde.

Luís Veiga Martins, o diretor-geral da Sociedade Ponto Verde, disse à Lusa que, apesar da crise, os portugueses «estão mais sensibilizados» para a reciclagem.

O plástico e o metal foram os materiais mais recolhidos nos primeiros seis meses do ano, com um aumento de 22 e 20,7 por cento, respetivamente, comparativamente ao mesmo período de 2012. O papel e o cartão tiveram um aumento de 4 por cento nas quantidades encaminhadas para reciclagem entre janeiro e junho.

Em contrapartida, a madeira e o vidro foram os resíduos menos reciclados, tendo registado um decréscimo de 39 e 4 por cento, respetivamente.

Os dados divulgados esta terça-feira referem-se a resíduos de embalagem de origem doméstica, pequeno comércio, restaurantes e hotéis.

A Sociedade Ponto Verde precisa que quanto aos resíduos de embalagem de origem não doméstica - industrial ou comercial - foram enviadas para reciclagem, no primeiro semestre do ano, 153.570 toneladas, mais 47 por cento comparativamente ao período homólogo de 2012.

Considerando no conjunto o lixo doméstico e industrial, foram encaminhadas para reciclagem mais de 321 mil toneladas entre janeiro e junho, um crescimento acima dos 20 por cento face aos primeiros seis meses do ano passado.