Perder 30 minutos de sono por dia pode levar ao aumento de risco de desenvolver diabetes tipo 2 e obesidade. A investigação finaciada pelo Ministério da Saúde, contou com a participação de 552 pessoas e foi levada a cabo por  investigadores da «University of Bristol» e da « Weill Cornell Medical College» que mostraram que o descontrolo do relógio imunológico interrompe o ritmo natural das hormonas.

«Verificámos que a redução de 30 minutos de sono por dia pode ter efeitos significativos na obesidade e resistência à insulina», garante um investigador da Weill Cornell Medical College, no Qatar, Shahrad Taheri.


O estudo tinha como objetivo principal determinar as consequências do estilo de vida moderno e ocupado, na saúde, que habitualmente faz encurtar os períodos de sono durante a semana. No período de 7 dias, 72% das pessoas revelaram uma grande tendência para desenvolver obesidade em comparação com as que dormiram bem. Após 6 meses, as perdas de sono são muitas e as consequências são ainda mais graves.

A falta de sono podem levar a um estado pré-diabético e a uma maior probabilidade de desenvolver diabetes tipo 2.

«A perda de sono é generalizada na sociedade moderna, mas apenas na última década tem consequências metabólicas», refere Taheri.

Os investigadores aconselham  para uma boa noite de sono:

1- Ter o quarto escuro: dormir no escuro permite que o corpo produza melatonina, uma parte essencial do ciclo do sono.

2- Deitar-se horizontalmente para evitar dores: certifique-se que o pescoço fica direito e numa superfície plana. A má postura quando dorme pode levar a dores e problemas de costas a longo prazo.

3- Acertar a temperatura: estar muito quente ou muito frio vai interferir no sono, tente manter a temperatura entre os 16 e os 18 graus.

4- Fazer a sesta ou não?: as investigações não são precisas, para muitos dormir a sesta não inibe a capacidade de dormir à noite, outros ficam ou muito cansados ou sem sono.

5- Comer bem para dormir bem: evitar ingerir estimulantes como a cafeína e o açúcar e jantar pelo menos duas horas antes de ir para a cama são alguns truques para dormir bem.

6- Ser ativo estimula o sono: estudos mostram que as pessoas que estão em boa forma e saudáveis têm mais probabilidade de dormir bem. Contudo, não deve exercitar-se demais perto da hora de dormir de modo a que a temperatura corporal volte ao nível normal.

7- Ter a casa limpa: ventilar o quarto diariamente e mudar os lençóis regularmente é muito importante principalmente para quem sofre de alergias.

8- Ter uma rotina: ir para a cama mais ou menos à mesma hora todas as noites pode ajudar o corpo a reconhecer a hora de ir dormir. É aconselhável evitar sedativos, como pílulas para dormir porque o efeito tende a ser curto e viciante.

Todos os seres vivos têm um mecanismo interno conhecido como relógio biológico, que sincroniza as funções corporais para o padrão de 24 horas de rotação da Terra. Nos seres humanos e noutros mamíferos, é regulada pelos sentidos, nomeadamente a maneira como o olho percebe a luz e a escuridão e como a pele sente as mudanças de temperatura.

A tecnologia interfere de forma significativa no sono e é responsável por nos mantermos acordados até mais tarde devido aos altos níveis de luz que os aparelhos como smartphones, tablets, etc. têm e que interferem no relógio do corpo.