Os centros de saúde em Portugal precisam de duplicar o número de psicólogos disponíveis, atualmente menos de 250, o que dá um rácio inferior a 2,5 profissionais por 100 mil habitantes, estima a Ordem dos Psicólogos.

No Dia Nacional do Psicólogo, que pela primeira vez hoje se assinala em Portugal, o bastonário da Ordem, Francisco Miranda Rodrigues, reconhece que tem sido feito um esforço para dotar os serviços públicos de mais profissionais, mas lembra que é preciso ir mais longe.

Na área dos cuidados de saúde primários há atualmente menos de 250 psicólogos, quando a Ordem indica que seria necessário o dobro “para ter uma cobertura que permitisse o trabalho adequado nos diversos programas preventivos”.

Na semana passada, o Ministério da Saúde lançou concursos para a contratação de mais 40 psicólogos para os centros de saúde, o que o bastonário saúda e considera mesmo “histórico”.

Este concurso vai no sentido correto, é histórico. Acontece passado 20 anos do último concurso para o Serviço Nacional de Saúde ao nível destas carreiras. Mas demorou muito tempo e chega atrasado”, comentou Francisco Miranda Rodrigues à agência Lusa.

Apesar de o caminho seguido no SNS ser o correto, o representante dos psicólogos avisa que é necessário ir reforçando constante e continuamente estas contratações.

O bastonário lembra que são precisamente as pessoas mais vulneráveis que têm dificuldade em aceder a psicólogos, caso os serviços públicos não tenham esta oferta.

Os desafios emergentes e os problemas sociais complexos que hoje a sociedade enfrenta, como as desigualdades, são situações onde os psicólogos podem dar um valioso e diferenciado contributo, porque são especialistas em comportamento e, através da sua ciência, podem aplicar soluções a benefícios das populações, que hoje em dia ainda ficam distantes por haver dificuldade de acesso a psicólogos, particularmente por parte das pessoas com menos recursos”, afirma o bastonário.

Também na área da escola pública houve um reforço do número de psicólogos que é saudado e salientado pela Ordem, havendo atualmente cerca de mil psicólogos nos estabelecimentos de ensino público.

Portugal tem cerca de 20 mil psicólogos, sendo que apenas cerca de dois mil se encontram nos serviços públicos: perto de 460 nos hospitais do SNS, mais de 200 nos centros de saúde, cerca de mil nas escolas, 30 nas prisões e mais de 240 noutros contextos do SNS, como nos comportamentos aditivos.

Sobre a comemoração do primeiro Dia do Psicólogo, o bastonário da Ordem considera que é um passo simbólico, mas relevante, “no reconhecimento público da importância social da profissão e da aplicação das ciências psicológicas para o bem-estar dos portugueses, para a prevenção e desenvolvimento das pessoas, com vista a uma maior coesão social e desenvolvimento sustentável”