A ambulância de suporte imediato de vida (SIV), integrada no Hospital de Águeda, foi a que apresentou este ano maior taxa de ativação no centro do país, segundo dados hoje divulgados.

De acordo com uma nota informativa do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV), que cita um relatório do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), nos primeiros nove meses do ano, a ambulância de Águeda teve 1091 saídas, correspondendo a uma média de cerca de 120 saídas por mês, para ocorrências no Concelho de Águeda e em concelhos vizinhos.

«O relatório do INEM relativo à atividade, nos primeiros nove meses de 2013, das Ambulâncias SIV integradas em unidades hospitalares da Administração Regional de Saúde do Centro (ARS do Centro) evidencia que dos cinco distritos que integram esta ARS (Aveiro, Viseu, Guarda, Leiria e Coimbra), Aveiro é o que apresenta a taxa de ativação mais elevada deste serviço, que existe apenas no Hospital de Águeda», refere a nota informativa.

A SIV de Águeda iniciou atividade em novembro de 2012, através de um protocolo firmado entre o INEM e o Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV), com o objetivo de prestar «um atendimento mais diferenciado, seguro e rápido».

Segundo Elsa Rocha, diretora do Departamento de Urgência, Emergência e Medicina Intensiva do CHBV, «a SIV de Águeda tem tido um papel fundamental na prestação de cuidados pré-hospitalares emergentes. Vai ao local (domicílio, lares e via pública), estabiliza os doentes e procede, em segurança, ao seu encaminhamento para o hospital.»

A ambulância sedeada em Águeda está dotada de um monitor desfibrilhador e equipamento para transmissão de eletrocardiogramas e sinais vitais.

Assegura ainda o transporte entre unidades hospitalares, tendo ao seu serviço enfermeiros que já pertenciam ao Hospital de Águeda.

As Ambulâncias de Suporte Imediato de Vida destinam-se a garantir cuidados de saúde diferenciados, designadamente manobras de reanimação, até estar disponível uma equipa com capacidade de prestação de Suporte Avançado de Vida. A tripulação é composta por um Enfermeiro e um Técnico de Ambulância de Emergência e visa a melhoria dos cuidados prestados em ambiente pré hospitalar à população.

A intervenção das SIV é ativada pelo Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) que, por sua vez, depende do INEM.

O INEM cedeu a ambulância e os equipamentos, sendo da responsabilidade do Centro Hospitalar do Baixo Vouga a manutenção, reposição dos fármacos e consumíveis e o encargo com os recursos humanos afetos ao serviço.