O embaixador português no México diz que "não deverá haver portugueses entre as vítimas" mortais do sismo de magnitude 8,2 que atingiu o país na quinta-feira à noite, madrugada em Lisboa. Entretanto, também o Governo português disse o mesmo.

Em princípio, nós não teremos portugueses naquela região. Contudo, a nossa embaixada, que connosco falou às quatro horas da manhã, transmitiu que continuava a acompanhar todas as informações e em contacto com as autoridades locais"

O secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, prestou declarações aos jornalistas, no Santuário de Meritxell, em Andorra, onde se encontra a acompanhar a visita oficial do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a este principado.

José Luís Carneiro referiu que há "cerca de dois mil portugueses registados na secção consular da embaixada do México" e reiterou: "Em princípio, não teremos portugueses naquela região".

O embaixador português no México, Jorge Roza de Oliveira, já tinha dito antes, à Lusa, que "não haverá portugueses entre as vítimas" deste sismo

Jorge Roza de Oliveira publicou uma mensagem no Facebook às 04:45 locais (10:45 em Lisboa), indicando que que "tudo aponta para que os estragos sejam maioritariamente a sul, nos estados de Oaxaca (onde terá colapsado agora um edifício), Chiapas (onde já foi declarado o estado de emergência) e Tabasco".

Cruzo os dedos, mas não haverá vítimas portuguesas"

O sismo, que já teve mais de 60 réplicas, causou essencialmente danos materiais na Cidade do México.

Há falhas de energia, há danos materiais, mas não foi a tragédia que poderia ser com esta magnitude"

O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico ativou um alerta para o México, Guatemala, El Salvador, Costa Rica, Nicarágua, Panamá, Honduras e Equador.