logotipo tvi24

Açores: sismo abalou três ilhas

Não há registo de feridos nem danos materiais

Por: tvi24 / SM    |   2009-03-30 20:38

Um sismo de pequena intensidade foi sentido nas ilhas do Faial, Pico e São Jorge, nos Açores, sem causar qualquer dano, anunciou o Centro de Vulcanologia e Avaliação de Riscos Geológicos dos Açores.

A directora do centro, Teresa Ferreira, adiantou à agência Lusa que o sismo foi registado pelas 18:24 (19:24 de Lisboa) e atingiu uma magnitude de IV/V na Escala de Mercalli.

O epicentro do evento sísmico localizou-se a dois quilómetros a Este da freguesia de Pedro Miguel, no Faial.

Alegando que ainda estão a ser recolhidos dados, Teresa Ferreira explicou que o evento foi sentido pela população das ilhas do Faial, Pico e São Jorge, mas não há danos a registar dado tratar-se de uma intensidade considerada baixa.

A Escala de Mercalli, utilizada para perceber a amplitude dos estragos provocados por um sismo, vai de I (nível imperceptível) a XII (danos quase totais).

Há dois dias atrás foi sentido no Faial outro sismo (com intensidade máxima II na Escala de Mercalli Modificada), com epicentro a cerca de dois quilómetros a Norte da Ribeirinha, que também não causou danos.

Segundo Teresa Ferreira, todos os dias ocorrem sismos nos Açores, por isso a ocorrência de dois sismos próximos e em zonas diferentes não é uma situação alarmante.

Partilhar
EM BAIXO: Sismo
Sismo

Veja as capas dos jornais de hoje
Revista de imprensa desta quarta-feira, 16 de abril
Veja a combinação vencedora do Euromilhões
Na próxima sexta-feira há «jackpot» de 50 milhões de euros
Qualidade do ar afetada esta quarta-feira
Massa de ar proveniente do norte de África pode afetar a qualidade do ar em Portugal Continental
EM MANCHETE
Corte não será tão grande como a CES
Em entrevista, Passos Coelho pouco revela sobre medidas futuras, mas admite aliviar cortes em 2016. PM não promete baixar IRS e recusa ser responsável pelo aumento da pobreza
«Primeiro-ministro fugiu a dar respostas concretas»
«Se agora conseguem poupar, por que foram ao osso?»