As secretas portuguesas suspeitam da existência de portugueses na Al-Qaeda. De acordo com o jornal «Expresso», há mais de uma dezena de portugueses jihadistas que estão a ser vigiados pelo SIS e pelo SIED. Alguns deles estarão a combater na Síria, no Mali e na Somália.

Nem todos os que se encontram sobre suspeita terão nascido em Portugal. Pensa-se que muitos deles sejam originários da Índia, Paquistão ou Bangladesh. Terão adquirido a nacionalidade portuguesa através de casamentos com portuguesas a troco de dinheiro, em Lisboa, Porto e Londres.

Londres será de resto a principal base dos terroristas islâmicos portugueses. Diz o «Expresso» que, em janeiro do ano passado, um português foi detido no aeroporto de Gatwick e depois libertado.

O semanário diz ainda que a Polícia Judiciária recebeu 62 dois alertas de terrorismo e que a Europol emitiu 52 pedidos de ajuda às autoridades portuguesas e a Interpol fez dez.