“A adesão à greve [que decorreu de 02 de abril até hoje] foi esmagadora, rondou os 98% nestes três meses”, disse à Lusa António Pascoal, do STML.