A greve dos enfermeiros do hospital de Viana do Castelo registou, nos dois dias, uma adesão total de 75% o que, segundo fonte sindical, refletiu o «descontentamento» pela «extrema carência» destes profissionais e consequente «sobrecarga» de horários.

«Foi uma excelente adesão tendo em conta os objetivos destes dois dias de greve que eram alertar a população para a falta de condições de trabalhos destes profissionais de saúde. As pessoas ficaram alertadas para a diminuição do número de enfermeiros por turnos e nos serviços e equipas do hospital», adiantou à Lusa Guadalupe Simões, da direção nacional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

Segundo o SEP, a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) emprega atualmente 804 enfermeiros quando «deveria dispor de 1200».

Guadalupe Simões adiantou que, esta sexta-feira, segundo e último dia de greve, nos três turnos, registou-se uma adesão de 78%.

A sindicalista explicou que no hospital distrital de Viana, no «bloco operatório, só funcionou a sala de urgência».

Os centros de saúde de Viana do Castelo e Monção registaram uma adesão de 100% e no de Vila Nova de Cerveira «apenas um enfermeiro foi trabalhar».

Na quinta-feira, primeiro dia de greve, no turno da manhã, registou uma adesão de mais de 86%.

Segundo a dirigente do SEP, a «extrema carência» de enfermeiros na ULSAM decorre da «posição do conselho de administração que não faz contratos de substituição dos enfermeiros aposentados e da política do governo que não autoriza a contratação de pessoal».

De acordo com a dirigente sindical, «em média a maioria dos enfermeiros do hospital de Viana está a fazer mais 50 a 60 horas por mês».

A ULSAM integra dois hospitais, situados em Viana do Castelo e Ponte de Lima, e 13 centros de saúde.

O hospital de Viana do Castelo serve cerca de 244 mil pessoas dos dez concelhos do distrito e algumas populações vizinhas do distrito de Braga.

Segundo dados de 2011 da ULSAM, trabalhavam nos hospitais de Viana do Castelo e Ponte de Lima, além de 13 centros de saúde, em todo o distrito, cerca de 2600 funcionários.