“Nós também, na PSP, temos elementos policiais que estão a ser sujeitos às mesmas medidas pela CGA, uma vez que também nós, na PSP, passamos à aposentação aos 60 anos, e por essa razão não é nem legal nem justo estar a obrigar quem não pode trabalhar a fazer descontos até aos 65 anos”, disse Armando Ferreira.




“Nós estatutariamente não podemos trabalhar para lá dos 60 anos, mas, como não estávamos a trabalhar e a CGA entende que em Portugal só aos 66 anos se pode passar à aposentação, estava a descontar aos elementos das forças de segurança, porque eles tinham deixado de trabalhar antes dos 66 anos”, declarou Armando Ferreira.


“No SINAPOL temos três situações também que já deram entrada em tribunal, de três colegas que se aposentaram e viram as suas reformas cortadas com uma taxa injusta. Daí termos decidido também juntar-nos à manifestação da APG”, disse o presidente do sindicato.