Segundo o comunicado da PSP de Lisboa emitido esta terça-feira, a mulher terá num dos assaltos simulado o sequestro por um homem que assaltou a casa. A empregada até foi ao hospital, pelo alegado sequestro, mas, depois, assumiu a autoria dos furtos.

 

A alegada vítima de sequestro foi receber tratamento hospitalar, e logo depois

de ter alta hospitalar, acabou por confessar que não tinha sido agredida, ou

sequestrada, por ninguém, nem a residência tinha sido assaltada como quis

fazer crer, assumindo a autoria dos furtos, pode ler-se no comunicado.

Dois furtos. A casa teria sido assaltada duas vezes no espaço de uma semana durante o mês de novembro.

 

A polícia conseguiu recuperar os bens furtados: 1200 euros em dinheiro, um computador portátil e ouro no valor de mil euros.

 

A mulher foi constituída arguida, mas ficou em liberdade, sujeita à medida de coação mínima de termo de identidade e residência.