A Diretoria do Norte da Polícia Judiciária divulgou, esta terça-feira, ter constituído arguido um homem por simulação de crime depois de, falsamente, este ter dito às autoridades que lhe haviam roubado o colar que comprou para dar à namorada.

“A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Norte, na sequência de uma investigação desenvolvida após participação a esta polícia, no pretérito dia 15 de janeiro de 2016, de um assalto à mão armada que teria ocorrido no Porto, esclareceu cabalmente os factos, demonstrando a completa falsidade da versão apresentada pelo queixoso”, indica a PJ em comunicado.

De acordo com a diretoria do Norte, “o suposto ofendido pretendeu fazer crer às autoridades que tinha sido vítima de um roubo na via pública, protagonizado por dois indivíduos que, atuando com o rosto parcialmente tapado e munidos de uma arma de fogo, o assaltaram, apropriando-se da sua documentação pessoal, dinheiro e um telemóvel, bem como de um colar que havia adquirido minutos antes para dar de presente à namorada”.

A PJ conseguiu apurar que o homem “nunca estivera no estabelecimento comercial onde alegara ter comprado o colar que teria sido também roubado”.

O homem, de 32 anos, sem ocupação laboral, foi constituído arguido por simulação de crime.