Os doentes com VIH/Sida que recebem apoio de sete associações, que operam nas regiões de Lisboa, Porto, Amadora, Odivelas e Cascais, podem ficar mais descansados. O Governo garante o financiamento dessas instituições até que o concurso público esteja concluído. O secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, explicou à TSF que vai ser acionado o financiamento de emergência ainda antes do lançamento do concurso público.

Durante o período de transição política foi anunciado que as ajudas do Estado iriam caducar, colocando em causa a continuidade dos apoios. O secretário de Estado da Saúde garantiu agora que a continuidade dos acordos não está em causa e que a situação vai ser resolvida o mais rapidamente possível, sem interrupção do financiamento. Quanto ao concurso público, Manuel Delgado assegurou que o processo será rigoroso, analisando cada associação.

Em causa está o financiamento de sete instituições que é assegurado pelo Ministério da Saúde, por via de um concurso público plurianual (quatro anos), e que está a chegar ao fim. Um novo concurso já deveria ter sido aberto, mas tal ainda não aconteceu e as associações temiam ficar sem verbas até um novo concurso estar concluído, o que nunca deverá demorar menos de seis meses.

Gonçalo Lobo, presidente da Abraço, já  tinha avisado que as instituições não teriam capacidade financeira para dar resposta a seis meses de funcionamento de apoios domiciliários, de unidades residenciais e de centros de atendimento.