O centro de aconselhamento e deteção CheckpointLX, sediado no Príncipe Real, em Lisboa, assinala três anos de existência, com um balanço de 6.137 testes rápidos de HIV realizados, disse a coordenadora da iniciativa.

«Ao longo destes três anos de atividade, realizámos um número muito considerável de testes, que se refletem até ao final de abril deste ano em 6.137 testes», afirmou à Lusa, esta sexta-feira, a coordenadora científica do CheckpointLX, Maria José Campos.

O CheckpointLX é um centro de aconselhamento dirigido pelo Grupo Português de Ativistas sobre Tratamentos de VIH/SIDA, que oferece um serviço anónimo, confidencial e gratuito para o teste rápido de VIH, fundamentalmente direcionado a homens que têm sexo com outros homens.

Encontra-se sediado no Príncipe Real «por aquele local ser conhecido como um bairro onde se concentram muitas atividades que dizem respeito a esta comunidade», explicou Maria José Campos.

«Em relação ao universo a que se destina este centro, realizámos 5.149 testes e, destes, 233 foram positivos», o que corresponde a 4,53% dos casos, acrescentou a também médica.

Segundo a responsável, estes números centram-se em «testes e não pessoas», porque há quem faça testes regularmente, de seis em seis meses.

Além do rastreio, o objetivo é permitir o «acesso a um diagnóstico precoce e a um encaminhamento eficaz para o Serviço Nacional de Saúde, de todos os casos positivos», referiu.

Desde que o projeto foi iniciado, em abril de 2011, houve um aumento do número de testes, o que se deveu um maior conhecimento do trabalho feito por aqueles profissionais e a uma consequente maior procura. Em termos concretos, em 2012 foram realizados 1.797 testes, ao passo que em 2013 se contabilizou 2.450.

«Quanto ao número de infeções diagnosticadas, esse aumento também se verifica. Se fazemos mais testes, é normal que detetemos mais pessoas [infetadas]», explicou a coordenadora.

Maria José Campos frisou ainda que «os números são preocupantes e retratam a realidade», que se centra também em fenómenos como a discriminação, pelo que há «necessidade de desenvolver diversas iniciativas que têm a ver com a prevenção e esclarecimento».

Estes e outros dados serão divulgados às 19:00 de sábado numa ação que decorre na sede do CheckpointLX.